21/02/2020 13h43 - Atualizado em 21/02/2020 17h26

Tenente Portela decreta situação de emergência devido à falta de água


Tenente Portela decreta situação de emergência devido à falta de água

Na manhã desta sexta-feira, 21, em uma reunião no gabinete do Prefeito Clairton Carboni de Tenente Portela, com a presença de representantes do escritório local da Emater, da Câmara de Vereadores e da equipe técnica da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, decidiu-se por decretar  situação de emergência no município, devido a falta de água que está ocorrendo, sobretudo, na zona rural do município.

Conforme laudo técnico apresentado pela Emater, desde o início do mês de dezembro do ano passado até a metade deste mês de fevereiro, as precipitações pluviométricas tiveram uma redução de 30%, comparado com o mesmo período dos últimos três anos, isso acarretou em prejuízos na produção agrícola, principalmente no setor leiteiro, na piscicultura e na cultura do milho.

Os prejuízos provocados pela estiagem atingem diretamente as pastagens de verão, que são volumosos essenciais para a alimentação do gado leiteiro, e também a cultura do milho destinado para a silagem, que é essencial para a alimentação do gado leiteiro. Como consequência, ocorreu a diminuição da produtividade, devido a falta de pastagens e da má qualidade da silagem, bem como, a falta de água de qualidade para o consumo dos animais, ocasionando na redução da produção leiteira.

O laudo ainda aponta outros prejuízos, como a morte de peixes em açudes, a falta de água em propriedades produtoras de aves e suínos. A prefeitura tem feito a distribuição de água através de caminhão pipa.

A falta de água potável para o consumo humano também é um dos grandes fatores para este decreto, pois, segundo o laudo da Emater, desde o mês de junho doe 2019 que ocorre uma diminuição significativa das chuvas, causando impacto direto nos lençóis freáticos, principal fonte de água potável para Tenente Portela. A escassez de água se encontra ainda mais nos poços existentes na zona rural, inclusive, como poços que secaram.

Diante destes e de outros fatos e números que constam no laudo, o Prefeito Clairton Carboni, em conjunto com a equipe técnica decidiu por decretar situação de emergência, para que, com isso, possa intensificar o atendimento e o investimento para as regiões mais afetadas. Atualmente, em torno de 150 famílias são atendidas pelo caminhão pipa da Prefeitura, mas este número pode ser bem maior, pois muitas famílias buscam água em propriedades vizinhas.

Conforme informações da Emater, as últimas chuvas amenizaram as perdas na produção de grãos, mas ainda não são suficientes para normalizar o fornecimento de água.



Enviar por e-mail Imprimir